segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Direito na Mídia está de volta!

Não está fácil manter o blog atualizado. Já se vão mais de quatro meses desde a última postagem e, em 2014, essa é apenas nossa 13ª publicação, média insignificante perto do ritmo que tínhamos até 2012 e que já apresentara grande queda ano passado.

Para complicar, está cada vez mais difícil acompanhar na internet as matérias jurídicas que saem nos principais jornais e revistas. O Valor Econômico sempre teve seu conteúdo restrito a assinantes; Folha e Estadão criaram um cadastro gratuito que permite o acesso a apenas certo número de matérias por mês; e as revistas semanais agora somente permitem a leitura de algumas reportagens, que às vezes sequer estão disponíveis na íntegra.

Pior: preocupada com a diminuição do número de leitores, a Folha de S.Paulo resolveu processar os serviços de clippings que reproduziam reportagens do jornal, proibindo a Empresa Brasileira de Comunicação, o Senado e a Imprensa Oficial de São Paulo de divulgarem suas matérias.

A iniciativa é polêmica, pois ser lido pelas principais autoridades do País é importante para qualquer veículo de comunicação. O certo é que vários serviços de clippings - estatais e privados - que utilizávamos para editar o blog e recomendar na seção Vale a leitura! não mais funcionam (ex: Ministério do Planejamento) ou restringiram seu conteúdo ao que é publicado nos sites dos tribunais (ex: AASP).

Dito tudo isso, o certo é que retornamos, procurando trazer, como de costume, uma nova visão sobre as matérias e artigos jurídicos publicados na imprensa.

2 comentários:

Ricardo Maffeis disse...

Um de nossos tradicionais leitores, que pediu para não ser identificado, depois de nos desejar boa sorte neste recomeço, afirmou o seguinte:

"Tenho a impressão que a navegação anônima ajudaria a evitar o limite para não-assinantes".

acda disse...

Ricardo, bom dia! Parabéns pelo retorno e pela volta para a advocacia, depois de anos no STJ. Abraço! André Cruz de Aguiar.